planejamento estratégico

Você já ouviu falar em planejamento estratégico? Se você já tem um negócio próprio, ou trabalha em uma empresa na área de gestão, a resposta provavelmente é positiva. Talvez você até já tenha realizado um planejamento desse tipo.

Mas você sabe a importância do planejamento estratégico, e como desenvolver um planejamento eficiente que realmente faça seu negócio crescer?

Em qualquer negócio, criar estratégias que possibilitem o crescimento é mais que fundamental. Um bom exemplo são as estratégias de Marketing Digital, super eficazes na geração de mais lucros para a empresa, se forem feitas da forma correta.

Neste artigo, vamos tratar sobre este importante conceito de administração de empresas: o planejamento estratégico. Você vai ver exemplos, definição, tipos, desafios e oportunidades de uma empresa e, finalmente, como fazer um bom planejamento estratégico utilizando as melhores ferramentas.

Para facilitar sua leitura, dividimos o conteúdo tem tópicos:

Se você quer fazer seu negócio prosperar cada vez mais, atingindo seus objetivos e se destacando no mercado, vem com a gente e descubra tudo sobre este conceito crucial para a administração de uma empresa.

O que é planejamento estratégico?

O planejamento estratégico nada mais é do que o processo de criar estratégias para um negócio e delimitar o que é necessário fazer para alcançá-las.

Na verdade, o planejamento estratégico não é algo novo, pois já era utilizado desde a Antiguidade para, por exemplo, vencer guerras: os combatentes deveriam entender o que, por que e como fazer para vencer. A lógica do planejamento estratégico em uma empresa é a mesma de uma batalha: táticas para vencer, ou melhor, no caso de uma organização, vender e crescer.

Afinal, o campo de batalha e o mercado têm várias semelhanças, e os vendedores competem para conseguir clientes e fidelizá-los, valorizando sua marca. O planejamento estratégico de uma empresa define quais vão ser as armas utilizadas, como e quando vão ser empregadas.

Visão do futuro

O planejamento estratégico deve mostrar o melhor caminho a ser seguido até alcançar um objetivo. Assim, a empresa avalia sua situação e projeta seu futuro: como pretende estar daqui a certo tempo.

Portanto, o planejamento estratégico é um guia, uma rota que visa um destino almejado. A jornada até lá é definida pela estratégia.

Mas não pense que o planejamento tenha que ser fixo e imutável, ao contrário, é comum que tenha que ser ajustado eventualmente, de acordo com necessidades da empresa e do mercado.

Exemplo de planejamento estratégico

Existem diferentes tipos de planejamento estratégico em uma empresa.

Mas, para começar a fazer um, pensando em sua execução, você deve compreender sua real função no negócio. O planejamento estratégico define metas específicas que visam um objetivo principal, focando em resultados a longo prazo.

O planejamento abarca toda a empresa, com todos os seus setores, e deve delimitar quais fatores internos e externos influem diretamente no negócio.

Em primeiro lugar, deve-se considerar a situação atual da organização. Vamos supor que você seja proprietário de uma organização X. Faça, então, algumas perguntas básicas:

  • qual é a atual realidade da organização?
  • quais limitações esse contexto impõe?
  • qual o cenário do nicho em que a empresa atua, e como tem se modificado?
  • quais os fatores mais decisivos para alterar as ações?
  • o que a concorrência anda fazendo?

Estas respostas vão ajudar a determinar os objetivos a serem alcançados através do planejamento estratégico: a empresa vai entender sua posição atual e verificar o que deseja mudar, pensando no futuro. O foco, portanto, é no longo prazo.

O planejamento estratégico deve ser comandado pelos executivos e gestores, sendo que sua finalização pode levar certo tempo. Não tenha tanta pressa, procure detalhar o plano o máximo possível, levando em conta todos os aspectos possíveis.

Por outro lado, o plano deve possuir marcos de datas para verificar seu andamento e, se necessário, realizar correções. Esse planejamento deve conceber a ideia de uma orientação completa para a empresa. Ainda, precisa mostrar em que fase o negócio se encontra e aonde deseja chegar.

Este exemplo de planejamento estratégico é focado, como vimos, no longo prazo, sem priorizar medidas para o agora.

Existem outros modelos de planejamento empresarial, com visões diferentes, como o planejamento tático e o planejamento operacional.

Definições do planejamento estratégico

Planejamento estratégico exige eficácia, informações precisas e conhecimento do mercado, para que se possa tomar as decisões mais adequadas, alinhadas com a visão de futuro da organização.

O planejamento estratégico deve ser colocado no papel antes de entrar em ação. Assim, ao começar a criar este planejamento, você deve determinar algumas definições:

  • quem eu (nós) sou (somos) e qual é nossa missão? Por que o negócio é importante para o mercado? Aonde desejamos chegar?
  • quem está envolvido no plano? E nas análises que vão determinar os rumos da organização?
  • quais informações tenho que reunir para ter uma visão mais abrangente do mercado? Isso envolve análise de mercado, funcionários, concorrência e nichos a serem explorados;
  • quais são os insumos, internos e externos, que vão permitir a realização do meu negócio? Compreender o mercado é tão importante quanto compreender a situação interna da organização.

Lembre-se de atentar às métricas no planejamento estratégico, isto é, estratégias que medem investimentos e ações ligadas à empresa, tanto em termos de quantidade como qualidade. Essas métricas devem estar intimamente relacionadas aos planos estratégicos, fornecendo respostas assertivas e cruciais e levando em consideração os maiores objetivos.

Resumindo, o monitoramento de resultados deve ser um termômetro para avaliar os objetivos atingidos da empresa, em especial as vendas.

Tipos de planejamento estratégico

Ao pensar em planejamento estratégico, temos 3 classificações principais:

  1. Nível organizacional: abarca planejamento estratégico do negócio e planejamento estratégico corporativo; planejamento tático, que envolve planejamentos estratégicos de unidade de negócio, de unidade de suporte, departamental e individual; e, finalmente, planejamento operacional;
  2. Profundidade: envolve 3 tipos de planejamento estratégico, que são renovação estratégica, atualização da estratégia e replanejamento estratégico.
  3. Abordagem: refere-se à forma de realizar ações, e divide-se em 2 tipos básicos de planejamento estratégico, que são a abordagem clássica ou tradicional e a abordagem contemporânea.

Como definir um processo de planejamento estratégico

Um planejamento estratégico eficiente deve apresentar algumas características cruciais:

  • dedicação contínua por parte da organização: de preferência, envolvendo todos os funcionários da empresa;
  • visão da empresa e do ambiente: a visão de todos os colabores deve ser compartilhada, a partir de diferentes personalidades, habilidades e experiências. Ideias divergentes podem colaborar para o desenvolvimento de novas estratégias;
  • levar em conta a vantagem competitiva: vantagem competitiva são os benefícios percebidos pelo consumidor ao terminar sua experiência de compra. É decisiva para que o cliente escolha certa empresa para comprar. Por outro lado, vantagem competitiva é o cerne do planejamento estratégico, o pilar ao redor do qual tudo se encaixa: significa os diferenciais no mercado;
  • visar a ações concretas: é importante separar a estratégia em partes menores para que seja viável. Objetivos e iniciativas devem ser delineados, através de projetos, programas e planos de ação;
  • priorizar uma visão do futuro do negócio: o planejamento estratégico deve se propor a fazer com que o futuro seja melhor que o passado. É factível, possível e difícil de alcançar suas metas. A palavra vital é equilíbrio, priorizando resultados em longo prazo.

Portanto, em primeiro lugar você deve ter um objetivo final em mente. Quem não sabe para onde vai, acaba se perdendo. Quem vai? Para onde? Quais recursos são necessários?

Estudar a situação atual da organização, a fase em que se encontra e o motivo dessa posição, assim como seus problemas e alternativas de melhoria são ações importantes para um bom planejamento estratégico.

Existem basicamente 5 modelos de planejamento estratégico, e você deve selecionar o que melhor se adequar à sua empresa:

  1. Estratégia básica de planejamento: identifique propósito, estratégias e abordagens, além de planos para atingir a estratégia. Não deixe de monitorar e atualizar o plano;
  2. Processo de planejamento estratégico baseado em questões: pode melhorar o plano básico, tem várias etapas que começam com a análise SWOT e terminam com o monitoramento de resultados;
  3. Plano estratégico de alinhamento: o foco é alinhar a missão da organização com os recursos de que dispõe. Indicado para negócios que querem compreender por que seus objetivos não estão atingindo os resultados desejados, ou então negócios que queiram redefinir suas metas;
  4. Planejamento estratégico de cenários: utilizado com outros modelos, assegura que a estratégia está incorporada ao processo. Possui várias etapas, em que se projetam cenários passíveis de surgir no ambiente externo e atingir a empresa. Além disso, para cada cenário 3 possibilidades são projetadas: uma melhor, uma razoável e uma pior, e se faz um brainstorm de como a empresa reagiria a cada uma delas. Por fim, acrescentar essas ideias ao planejamento estratégico;
  5. Processo de planejamento estratégico orgânico: plano mais espontâneo, sem tanta estruturação, avança naturalmente com foco contínuo e comunicação eficiente entre os participantes. Clareia os valores da empresa, sua visão, os processos necessários para chegar à visão e à cultura. É um processo que nunca termina, sempre deve ser atualizado, baseado na reflexão e no conhecimento.

Fases de empresas e seus desafios, oportunidades, erros e habilidades

Veja, a seguir, as possíveis fases de uma empresa com suas peculiaridades, o que vai definir o planejamento estratégico a ser realizado:

Ferramentas para auxiliar no planejamento estratégico  

Em se tratando de planejamento estratégico para uma empresa, um conceito bastante lembrado é a Matriz SWOT, assim como as 5 Forças Competitivas de Porter. Por outro lado, a Matriz de Ansoff é menos conhecida. Vamos falar detalhadamente sobre cada uma logo abaixo.

Você pode começar com a análise SWOT para avaliar as forças do seu nicho de mercado e, enfim, utilizar a Matriz de Ansoff para delimitar quais produtos ou serviços vão fazer parte do mercado, e de que forma.

Análise SWOT

Avalia o ambiente interno empresarial, isto é, aquele que pode ser controlado, para detectar forças e fraquezas. Por outro lado, investiga o ambiente externo, que não é influenciável pela empresa, para captar ameaças e oportunidades.

O ambiente externo é avaliado, em geral, pelo método PESTEL, a partir de fatores Políticos, Econômicos, Sociais, Tecnológicos, Ecológicos e Legais.

A SWOT determina como as forças podem gerar oportunidades e proteger a empresa de ameaças, além de quais fraquezas devem ser fortalecidas, evitando potencializar ameaças ou prejudicar oportunidades.

5 Forças competitivas de Porter

A SWOT pode indicar mercados promissores, mas agora você poderá analisá-los com o método de Porter.

Este método mostra como operam as forças competitivas:

  1. Rivalidade entre os concorrentes: quanto maior ela for, mais difícil penetrar no mercado, competindo com altos investimentos em marketing;
  2. Poder de barganha dos clientes: consumidores têm outras alternativas semelhantes ou tempo para efetuar a decisão de compra, podendo levar o mercado a uma queda de preços e aumento de qualidade de artigos;
  3. Poder de barganha dos fornecedores: monopólios e oligopólios, fornecedores acabam ditando preços e condições;
  4. Ameaça de novos entrantes: há barreiras de entrada do mercado, ou é simples participar dele? Aqui entram a força de marcas já conceituadas, além de vários custos que definem o grau de ameaça de novos concorrentes deixarem o mercado saturado;
  5. Ameaça de produtos substitutos: os produtos substitutos satisfazem às mesmas necessidades ou dores de seus clientes, mas de outra maneira, por vezes melhor.

Após avaliar oportunidades do mercado que podem ser melhor aproveitadas com base nas 5 forças competitivas, determine com quais produtos ou serviços e em que tipo de mercados pretende entrar em ação. Parta para a Matriz de Ansoff.

Matriz de Ansoff

Esta matriz se fundamenta em suas forças e fraquezas, ameaças e oportunidades, e ainda no grau de competitividade do mercado, o que leva você a decidir qual estratégia vai utilizar:

  1. Penetração de mercado: sua empresa escolheu continuar no mercado em que se encontra, almejando conquistar clientes, sem a criação de novos produtos ou serviços;
  2. Desenvolvimento de produtos: sua empresa percebeu uma oportunidade para desenvolver novos produtos para o mercado em que se encontra;
  3. Desenvolvimento de mercado: sua empresa realiza o lançamento de produtos que já vende, porém em outros mercados que deseja conquistar;
  4. Diversificação: lançamento de novos produtos em mercados novos.

Decidir qual estratégia utilizar dependerá das análises anteriormente realizadas por você.

Esperamos que você tenha gostado do nosso conteúdo sobre planejamento estratégico e compreendido os principais fundamentos e as principais alternativas de planejamento para realizar em sua organização.

Que tal agora se inscrever em nossa lista de e-mails? Aprenda mais sobre gestão de negócios, marketing e empreendedorismo, com quem sabe e é referência no assunto?