custo de estoque

A conveniência e preferência do consumidor pelas compras on-line são irrefreáveis. Uma pesquisa conduzida pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) reforça nossa afirmação: segundo o estudo, 89% dos internautas fizeram ao menos uma compra on-line entre junho de 2016 e de 2017.

Só que as facilidades para o público são constantemente transformadas em desafios para o empreendedor. Especialmente, no que diz respeito a calcular o custo de estoque e a sua gestão. Pois para manter o e-commerce sustentável, ágil e produtivo, muitos empresários quebram a cabeça com estratégias viáveis para evitar que o custo de estoque estoure o orçamento.

Por meio de um trabalho estratégico do custo de manutenção de estoque é possível compor melhor a margem de lucro de sua empresa, ter uma rotatividade funcional dos produtos estocados e reduzir os custos com logística e infraestrutura.

Quer saber se você paga caro pelo estoque e como agregar um nível de excelência à sua gestão? Basta seguir então com a leitura deste post!

Você paga caro pelo estoque da sua loja virtual?

O grande obstáculo para a prosperidade de uma gestão de estoque está no equilíbrio entre suprimento e demanda. O primeiro, em excesso, se torna excessivamente custoso e de pouca rotatividade se a demanda é baixa. E um estoque parado nada mais é do que dinheiro parado.

Com um pensamento logístico e estratégico, por sua vez, o custo total de estoque pode ser perfeitamente otimizado. Assim, com o tempo você o adapta para que o tempo de suprimento seja cada vez menor para atender a demanda do seu público. Principalmente, porque o estoque tem um papel tão importante quanto diversificado em um e-commerce, podendo ser utilizado para:

  • Agregar mais velocidade aos serviços prestados;
  • Reduzir os custos com o transporte e a compra de produtos;
  • Servir de instrumento de proteção contra o aumento de preços;
  • Medida segurança contra contingências.

Para ter um controle melhor dessa rotatividade e colher esses benefícios, no entanto, é fundamental compreender quais custos estão envolvidos na gestão do estoque. E, a seguir, vamos explorar cada um deles para a sua análise e planejamento.

Quais são os custos de estoque para um e-commerce?

quais são os custos de estoque

Para lojas físicas ou e-commerce, algo em comum: a rentabilidade de um negócio é bastante influenciada pelo custo de manutenção de estoque que você arca. Afinal de contas, nele está absorvido o seu capital investido e o aumento da rotatividade desses produtos libera mais esses ativos, ajudando na redução de custos com manutenção e armazenamento.

O problema, para muitos, é que esses custos vêm de diferentes maneiras — daí a importância em contar com planejamento prévio para identificar esses investimentos associados ao controle do seu estoque. Em geral, são dois tipos de custos presentes na gestão de estoque:

  • Custos variáveis: são aqueles que surgem esporadicamente, como os custos com perdas, manutenção e a operação de equipamentos, materiais e infraestrutura;
  • Custos fixos: são aqueles que, mensalmente, batem à porta do seu financeiro, como os seguros, a folha de pagamento e os benefícios dos seus colaboradores e a utilização do espaço destinado ao estoque.

Para que o seu custo de manutenção de estoque seja reduzido, portanto, é fundamental entender de onde eles vêm para aprender como controlá-los e evitar desperdícios. São eles:

Custos de manutenção

Acima, nós destacamos que um estoque parado é um investimento igualmente estagnado, lembre-se. Pois então, isso se traduz também em prejuízos para o seu e-commerce, uma vez que o estoque pouco utilizado custa mais do que você o utiliza. Sem falar que a manutenção do espaço é necessária, realizada de diferentes maneiras, como:

  • Custos de armazenagem física;
  • Custos com perdas;
  • Deterioração, danos, extravios, perdas ou furtos de produtos.

Custos de pedido

Custos associados ao processo de aquisição dos itens de reposição do estoque (custo do processamento dos pedidos, custo do envio dos produtos, custo de preparação da produção ou do manuseio para atender o lote solicitado, custo incorrido nas operações de recebimento).

Custos de aquisição de estoque

É aquele custo de estoque que se refere diretamente a uma nova aquisição sempre que a reposição do produto é necessária.

Custos de falta de estoques

Aqui, o custo de estoque se divide entre vendas perdidas e atrasos. O primeiro diz respeito à oportunidade desperdiçada por não ter o produto desejado pelo cliente em potencial, enquanto o segundo compreende nos gastos ocasionados pelo atraso na entrega.

Custo de pessoal envolvido

A já citada parte dos custos que envolvem a mão de obra do estoque, direta ou indiretamente, cobrindo a folha de pagamento e os respectivos benefícios dos funcionários.

Custo de edificações

Tudo que corresponde ao investimento necessário para sustentar o espaço onde está alocado o seu estoque, como impostos, seguros e o aluguel, entre outros.

Custo de capital

É todo o valor já convertido em produto estocado e que ainda não foi comercializado.

Custo com transportes

Toda movimentação realizada pelo seu e-commerce compete os custos com transportes, que variam de acordo com a estratégia e logística adotadas em sua empresa.

Ter um estoque de produtos pode te dar prejuízo?

Agora que já deu para ter uma boa perspectiva sobre o que é o custo de estoque e quais são os principais gastos para o seu controle e contínua manutenção, vamos colocar em prática os cálculos necessários para descobrir se a gestão pode ser mais econômica do que atualmente.

Começando pelo básico: o custo de estoque não é, simplesmente, o custo de uma mercadoria ou a compra de matérias-primas para confeccioná-las. A questão passa por uma série de fatores e variáveis que devem analisados também, como os já mencionados custos de pedido, manutenção e de falta.

Vale destacar que o mercado costuma se embasar uma média de gastos que pode ser considerada viável, em um e-commerce. São eles:

  • Custo de capital: média de 15%;
  • Custo respectivo à manutenção (ou armazenagem): média de 2%;
  • Custo de serviço: média de 2%;
  • Custo de riscos: 6%.

Avalie se o custo de estoque do seu e-commerce beira esse percentual. Caso exceda muito, e de maneira injustificada, continue a leitura porque vamos explorar algumas alternativas para reduzir os gastos com a gestão de estoque, mas sem perder a eficiência do departamento.

Como reduzir o custo de estoque do seu e-commerce

como reduzir o custo de estoque

Existem algumas medidas bastante populares, no mercado, e vale a pena começarmos justamente por elas para que você identifique quais delas têm real valor para implantação em sua empresa:

  • Sincronize a entrega de produtos de acordo com a necessidade dos clientes — por meio de diferenciais de entrega personalizadas;
  • Reduza o tempo de planejamento, produzindo em escalas menores. A ideia é manter o estoque sempre em movimento, ainda que em menores quantidades;
  • Reduza o lead time;
  • Faça a reposição contínua de produtos dentro da demanda registrada em seu e-commerce.

Além dessas dicas podemos nos inspirar em um exemplo real do mercado. A Amazon, em seus primórdios no comércio eletrônico — em meados da década de 1990 — suou muito para conter o custo de estoque em um nível de excelência.

Por exemplo: foi apenas em 2013 que o popular e-commerce brandiu a bandeira de independência contra as transportadoras que ele dependia excessivamente. A alternativa foi encontrada a partir de uma frota própria de veículos e centros de triagem espalhados pela cidade, reduzindo o tempo de espera do consumidor.

A questão, no entanto, não reside apenas em novos investimentos. Reveja e apeie todo o fluxo produtivo de sua logística. Avalie etapas redundantes e que podem ser absorvidas por outras, promovendo uma entrega mais ágil, sob o seu controle e econômica, o que se converte em mais lucros para o seu e-commerce.

Cross docking e drop shipping: como reduzir o custo com estoque terceirizado?

Atualmente, existem dois modelos que contribuem ativamente para a redução do custo de estoque: o cross docking e o drop shipping. Apontar qual é o melhor, entre eles, é difícil, uma vez que as peculiaridades de cada um podem ser mais bem aproveitadas dentro das necessidades e objetivos de um e-commerce.

Para ajudar você a se nortear dentro da questão, a seguir vamos falar um pouco mais a respeito do cross-docking e do dropshipping, formas eficientes de terceirizar seu estoque. Confira!

O que é cross-docking e como funciona?

Também conhecido como crossdocking, esse modelo de estoque é composto por um sistema que independe de estocagem prévia das mercadorias. Ou seja: o seu e-commerce só receberia os produtos de acordo com a demanda de vendas efetuadas.

Só então o produto é embalado e postado para o consumidor final. As principais vantagens disso:

  • Exige menos do fluxo de caixa do seu e-commerce para compor um estoque amplo;
  • A necessidade de um espaço físico grandioso também é menor;
  • É possível ampliar o portfólio do seu e-commerce, já que você só adquire os produtos assim que uma venda é concretizada.

Tenha em mente, entretanto, que essa modalidade para gerir com eficiência o custo de estoque coloca você em um estado maior de dependência com os fornecedores. E isso pode influenciar diretamente no prazo de entrega inicialmente acordado com os seus clientes.

Além disso, sem produtos previamente estocados, a sua empresa virtual também é refém da flutuação de preços do mercado, o que dificulta uma precificação em conta para os seus clientes.

O que é drop shipping e como acabar com o custo de estoque de uma vez por todas?

Outra modalidade para não só reduzir, mas eliminar o custo de estoque de uma vez por todas, é o drop shipping. Nesse caso, o seu e-commerce também não conta com um estoque próprio. Aqui, você recebe os pedidos na sua loja virtual e compra (de forma automática se realizada em conjunto de ferramentas para drop shipping) do seu fornecedor, que cuida da separação e transporte do produto para o consumidor final.

Com isso, o seu e-commerce pode se beneficiar porque:

  • Os gastos operacionais são menores, bem como o investimento inicial;
  • Não é necessário investir em espaço físico para iniciar o seu e-commerce, fazendo com que o orçamento inicial seja ainda mais baixo;
  • Sua empresa lida com os pedidos com muito mais controle e facilidade, sem falar na independência contra a pressão de manter um fluxo de caixa elevado, já que o seu e-commerce se torna um providencial intermediário.

Vale destacar também que a margem de lucro costuma ser menor, comparado a compras no atacado, uma vez que as grandes marcas de e-commerce costumam ter um estoque maior e, consequentemente, mais oportunidades para gerar promoções. Algo que é mais limitado por meio do drop shipping.

E atenção especial à experiência dos seus clientes. Como o seu papel é de atendimento, exclusivamente, todo o resto da operação fica por conta do seu fornecedor e, caso ele não providencie um serviço impecável, a mancha na reputação pode recair para a sua empresa também.

Comece agora a trabalhar com estoque terceirizado

Como vimos, existem múltiplas maneiras de fazer um diagnóstico preciso a respeito do seu custo de estoque e, então, analisar as melhores alternativas para manter-se eficiente, mas com boa dose de economia no processo.

Por fim, destacamos que o cross-docking e o dropshipping são dois modelos altamente eficientes de reduzir custos terceirizando o estoque, mas que demandam um planejamento personalizado para agregar mais valor à sua marca.

Mas no método drop shipping, você vai se livrar de todas as preocupações com estoque e ainda ter as vantagens de testar novos produtos e nichos de mercado, vender produtos difíceis de serem encontrados no Brasil, e incluir em sua loja produtos importados com alta margem de lucro.

Pense que, dessa maneira, você consegue colocar em prática o seu e-commerce com muito menos investimento e mais agilidade. Os riscos são baixos e você pode moldá-lo de acordo com o crescimento de sua empresa.

Se você tem interesse em saber um pouco mais a respeito desse tipo de solução e como ela pode contribuir efetivamente para trabalhar com e-commerce, sem se preocupar com estoque, assista a um vídeo que preparei especialmente para você. Clique aqui.