tipos de estoque

Quem busca trabalhar com e-commerce precisa ter em mente que conhecer os tipos de estoque e  um bom planejamento são fundamentais para o sucesso de seu empreendimento.

Quando falamos de estoque, nos referimos aos materiais (matérias primas ou produtos prontos) que são armazenados para que a cadeia de “produção/divulgação – vendas – entrega ao consumidor” seja respeitada.

Não podemos pensar que somente alocar mercadorias, matéria prima ou produtos é “fazer estoque”.

É preciso ter controle bem feito do que entra e do que sai, para que não haja problemas comuns, e que fazem quebrar muitos empreendimentos logo nos dois primeiros anos.

Veja este conteúdo também em tópicos:

Problemas comuns que a má administração do estoque pode causar

  • Demanda maior do que o estoque;
  • Estoque muito maior que a demanda;
  • Tempo de reposição do estoque lento, frente à demanda;
  • Estoque encalhado, obsoleto, ou com prazo de validade vencido;
  • Custos com espaço físico para armazenamento;
  • Venda de produtos que acabaram no estoque.

Como de boas intenções o inferno está cheio, vemos muitas empresas bem intencionadas quebrarem por não estarem atentos a esta questão.

O estoque é o ponto central de seu comércio, seja ele físico ou virtual. Afinal, o comércio só existe para vender alguma coisa ou algum serviço.

Iremos mostrar aqui os diversos tipos de estoque, inclusive para lojas físicas e mistas, e falaremos também sobre o planejamento, gestão de estoques e ferramentas que facilitam este processo essencial para qualquer empresa séria.

Leitura indicada: 

Gestão de estoque: As 7 principais dúvidas respondidas

Tipos de estoque para seu comércio

Falaremos aqui dos tipos de estoque que um comércio pode ter, com seus prós e contras.

Temos dois tipos básicos, e seus subtipos: estoque físico e estoque terceirizado. Vejamos adiante:

1. ESTOQUE FÍSICO

estoque físico

1.1 Estoque físico único

O estoque físico único é um tipo de estoque usado tradicionalmente numa loja física. Quando um e-commerce ganha maiores proporções, este tipo de estoque pode ser utilizado. Ele:

  • Mantém produtos para pronta entrega;
  • Permite uma gestão única, pois o estoque está alocado num só local.

Desvantagens:

  • Precisa de controle rigoroso em relação à logística (demanda e entrega);
  • O preço do transporte e tempo para chegar até o cliente variam muito.

1.2 Estoque físico descentralizado

O estoque físico descentralizado também é muito usado em lojas físicas e pode ser usado por um grande e-commerce.

As grandes redes, como Casas Bahia, Ponto Frio e Extra, por exemplo, usam estoque físico descentralizado. Ele:

  • Mantém pontos de estoque em vários pontos do país;
  • Ganha em velocidade de entrega e tem um custo mais baixo para o cliente.

Desvantagens:

  • O custo com espaço de estocagem aumenta;
  • O controle e integração entre todos os pontos de estocagem precisa de logística excelente.

1.3 Estoque físico compartilhado

Um comércio que já se desdobrou em loja física e virtual pode se beneficiar do estoque compartilhado. Nele:

  • Um só local é usado para estoque dos produtos para ambas as lojas;
  • O comerciante pode colocar o produto na loja física para demonstração, mas os produtos vendidos saem do estoque compartilhado.

Desvantagem:

  • A integração de gestão precisa ser bem feita, para que só os produtos disponíveis em estoque sejam vendidos.

1.4 Estoque físico consignado

Também muito usado para lojas físicas e alguns e-commerce, este tipo de estoque acontece quando o produtor consigna (empresta) mercadorias por determinado período para um lojista.

O lojista, quando encerra este período, paga pelos produtos vendidos e devolve o que ficou no estoque, sem custo. Nele:

  • O lojista não tem custo para fazer/comprar o estoque;
  • É possível testar novos produtos sem perigo de encalharem na prateleira.

Desvantagens:

  • É preciso manter um local físico para estocagem;
  • É necessário um controle rigoroso de entrada e saída das mercadorias consignadas;
  • Tem um controle rigoroso dos prazos estipulados de consignação para não ocorrerem multas.

2. Estoque Terceirizado

estoque terceirizado

O estoque terceirizado, dentre os tipos de estoque, é o mais utilizado pelos diversos tipos de e-commerce.

Nele o lojista será o “representante” e intermediário de produtos de fabricantes (confiáveis), mas não terá os produtos em estoque.

Os clientes fazem o pedido para a loja virtual, e, a partir disso, o lojista fará o pedido diretamente para o fabricante.

Os fabricantes podem ser internacionais ou nacionais, e sempre é importante buscar referências sobre eles e conhecer como trabalham antes de iniciar uma parceria (link para artigos, fornecedores nacionais, fornecedores internacionais, como escolher?)

Como você vai ver agora, existem duas formas de trabalhar com estoque terceirizado: 

2.1 Cross Docking

O Cross Docking acontece quando o fornecedor ou fabricante é responsável pelo estoque das mercadorias, mas não é responsável pela entrega das mesmas ao cliente.

Quando um pedido é feito, as mercadorias vão para o lojista, que fará o envio do produto para o cliente. Nele:

  • O lojista não tem custo com espaço físico para o estoque;
  • O lojista é responsável pela entrega do produto ao consumidor.

Desvantagens:

  • O fornecedor deve ser confiável (link para como encontrar fornecedor confiável);
  • A comunicação com o fornecedor precisa ser perfeita, para que não sejam vendidos produtos indisponíveis;
  • O lojista terá que se preocupar com a logística de entrega.

2.2 Drop shipping

No drop shipping, o fornecedor ou fabricante será responsável tanto pela estocagem das mercadorias quanto pela entrega ao consumidor final.

A modalidade do drop shipping internacional é a mais conhecida e comentada. Nela a loja virtual apresenta produtos estrangeiros com alta demanda, mas difícil acesso nos sites originais.

Quando são feitos os pedidos/pagamentos em sua loja virtual, o lojista entra em contato com o fornecedor estrangeiro ou nacional. Feito o pagamento, o fornecedor posta as mercadorias (sem divulgar a marca dele).

No drop shipping:

  • O lojista não tem custo com estoque;
  • Não tem custo com espaço para estoque;
  • Não tem preocupação com o processo de embalagem e envio;
  • O lojista pode testar novos produtos, sem perda de capital, já que sua loja é só vitrine.

Desvantagens:

  • O fornecedor precisa ser confiável, para garantir a qualidade das mercadorias e entrega;
  • O tempo de entrega é mais demorado no caso do fornecedor internacional, o que precisa ser bem explicado antes para o consumidor, deixando de ser um empecilho;
  • No caso de fornecedores nacionais, é interessante testar o comprometimento da empresa, tanto com qualidade dos produtos como com a entrega sem demora para o consumidor final;
  • A logística entre lojista e fornecedor deve ser precisa, para não oferecer produtos fora de estoque.

Planejamento de controle de estoque

planejamento de estoque

O planejamento e controle de estoque é o que chamamos de processo logístico.

Um bom processo logístico é o que vai proporcionar ao lojista uma chance maior para o crescimento de seu negócio.

Imagine a situação: o lojista oferece um produto bem procurado, por um preço atraente, seja na loja física ou na virtual. Centenas de clientes (ou milhares, conforme o porte do lojista) compram ou encomendam o produto. Mas… a demanda de pedidos é muito superior ao que havia no estoque (ou seja, foi subestimada a capacidade de venda), a entrega de novos produtos é demorada ou, pior, o fornecedor não tem em estoque para entrega.

Já imaginou o número de reclamações sobre a loja, em todos os canais possíveis (Reclame Aqui, SAC da empresa, redes sociais)?

Imagine outra situação: o lojista aposta numa super novidade, enche o seu estoque, e o produto é um fracasso retumbante.

Resultado: dinheiro empatado na mercadoria, espaço de locação cheio e com custo e o lojista acaba vendendo o produto por qualquer preço só para “desovar” e não ter perda total do investimento.

Ou seja: ele tem um grande prejuízo final.

Portanto, se quiser ser bem sucedido, o lojista precisa exorcisar a preguiça de cuidar do estoque, para que o fantasma das reclamações contínuas não caia sobre seu comércio físico ou virtual.

Mas como fazer planejamento e controle de estoques facilmente?

Planejamento de estoques

Quando se tem um estoque físico, é preciso ter algumas questões em mente:

  • Qual é a procura do produto? Contínua, sazonal?
  • É um produto perene ou de moda?
  • Se for matéria prima, é fácil de repor? A produção depende de clima, sazonalidade? Tem em grande quantidade? Qual o prazo de validade?
  • É necessário ter um equilíbrio entre estoque mínimo (necessário para o funcionamento) ou de contingência/proteção (para driblar greves de portos, caminhões, por exemplo…) e o estoque máximo (quantidade máxima de produtos “X” que serão armazenados num determinado período);
  • É necessário cuidado para ver quando se chegou ao estoque médio, para planejamento de reposição, antes de chegar ao estoque mínimo. Se quiser saber mais sobre isso, a empresa de logística Mandaê tem um artigo bem explicativo.

Como pode perceber, no controle de estoques não mencionamos os tipos de estoques terceirizados.

No caso do Cross Docking, o lojista precisará se preocupar com a logística de entrega para si e depois para o cliente/consumidor, além de precisar estar sempre atualizado quanto ao estoque de seus fornecedores para não decepcionar o cliente e ter dores de cabeça.

No caso do drop Shipping, o lojista, tanto como na modalidade acima, precisa estar atualizado quanto ao estoque de seus fornecedores, mas já não terá a preocupação com embalagem e envio.

Ambas as formas de estoque terceirizado não têm prejuízos com estoque parado ou sazonalidade, pois podem alterar as vitrines de suas lojas virtuais de acordo com a oferta de produtos por seus fornecedores (sempre lembrando: confiáveis!).

Por que e como fazer controle de estoque

Como já falamos, o controle de estoque blinda a empresa de imprevistos, seja com a entrega por fornecedores ou sazonalidade de produtos.

Além disso, sabendo o que quer, e quanto precisa, pode ter preços melhores, comprando em quantidades maiores.

Também, com o controle de estoque, o lojista mantém a linearidade da cadeia produtiva, nem estacionando vendas/produção, nem desagradando clientes com esperas indesejadas, ou mesmo com a não entrega do produto solicitado.

O controle de estoque faz com que o lojista possa ver a situação como um todo, por cima, e não no “meio da confusão”.

Como fazer o controle de estoque

Hoje existem sistemas automáticos para controle de estoque. Programas que podem ser baixados em seu computador, aplicativos que podem ser incorporados ao seu e-commerce ou até mesmo a lojas integradas no Facebook ou Instagram.

Muitas plataformas que abrigam o e-commerce – inclusive no formato drop shipping – já oferecem para o lojista o controle de estoque integrado com os fornecedores nacionais  (link para Truo) e internacionais, cálculo de impostos devidos e muito mais. Shopify, Ali Express, Woo Comerce, Loja Integrada (cite as lojas mais relevantes, se precisar)

Ou seja, se você tinha medo de planilhas e dados complicados, esqueça: o mundo virtual facilita a nossa vida de empreendedor.

Quando sua loja virtual cresce, é comum que haja o mix de pelos menos dois ou três tipos de estoque, entre os terceirizados e fixos. Desta forma, você garante:

  • Preço para quem não tem pressa do produto, com produtos com estoque terceirizado;
  • Produtos na hora, para quem quer o produto com rapidez (estoques físicos centralizados ou descentralizados, consignados etc).

Desta forma você garante sua reputação junto ao cliente e seu negócio cresce.

Mas se você acha que tudo isto ainda está difícil de entender, nós da Empreenda Ecommerce podemos te ajudar.

Imagine conseguir montar um e-commerce, baseado no melhor tipo de estoque – o terceirizado, como drop shipping – com baixo investimento inicial e com um retorno excelente, proporcional ao seu esforço?

Se quiser saber mais como centenas de pessoas com pouca experiência, tanto no comércio quanto no mundo virtual, estão conseguindo criar seu e-commerce de sucesso e até mesmo encontrar sua independência financeira, convidamos você para assistir este vídeo e trilhar conosco o caminho do empreendedorismo!

Avatar
Faz parte da equipe de conteúdo da Empreenda Ecommerce. A curiosidade a fez “especialista em assuntos aleatórios” – sabe de tudo um pouco, pois ela não para de estudar novos assuntos. Escreve desde os nove anos de idade e hoje se orgulha dos vários livros publicados.