compras online

A internet hoje é nosso segundo mundo. Um mundo virtual, dizem, mas onde nos relacionamos, aprendemos e realizamos atividades diárias como nossas compras online. Aí pedimos desde um livro para a escola até a compra do mês ou de um objeto de desejo.

E um mundo bom de se viver é um mundo seguro, concorda?

O número de compras online vem crescendo ano a ano no Brasil e no mundo. Dados da Ebit mostram que o e-commerce cresceu 12,1% no Brasil, no primeiro semestre de 2018.

São mais de 60 milhões de consumidores utilizando o mundo virtual para fazer compras online!

Isto acontece por vários motivos: preços online tendem a ser mais convidativos do que nas lojas físicas, podemos comparar entre dezenas de sites de compras no mesmo lugar (inclusive com ferramentas como o Buscapé, ou o próprio Google), sem sair de casa.

Temos a  comodidade de receber os produtos em casa, e dependendo do site, escolhermos até o frete que vamos pagar.

Do outro lado da linha, temos milhares de novos empreendedores, iniciando do zero no mundo digital, e agarrando a oportunidade de ter seu próprio negócio com um custo acessível.

Entre o consumidor e o vendedor honesto, temos uma “tribo” de vilões e malandros virtuais. Longe de serem pés-de-chinelo, os hackers podem atuar de diversas maneiras:

– roubando seus dados pessoais e bancários.

– clonando  cartões de banco em seu nome.

– criando sites falsos para roubar seu dinheiro.

– clonando endereços de sites e direcionando as pessoas para sites falsos.

E infelizmente, muito mais.

Por isso hoje o assunto é segurança, de uma ponta a outra.

Segurança na internet: um pouco de história

segurança na internet
Segurança na Internet

Desde sua criação a internet evoluiu muito, e foram sendo criados dispositivos de segurança para as pessoas que navegavam em suas ondas.

Se olharmos a história do mundo – e das guerras – veremos que estes mecanismos já existiam, e foram sendo adaptados para o mundo virtual.

A criptografia de dados (você vê isso no Whatsapp e em sua conta bancária, por exemplo) já existia 600 anos antes de Cristo, e nasceu com os Hebreus, segundo o site Imasters. A criptoanálise surgiu 1400 anos depois, em 800 D.C., para decifrar códigos baseados na criptografia hebraica.

Esta técnica foi utilizada na I e II Guerra Mundiais, para transmitir informações em segurança sem cair nas mãos inimigas.

Atualmente as tecnologias de segurança são inúmeras: HTTPS (você configura no seu e-mail a porta de segurança que irá usar, por exemplo), Token, Firewall, gateways, sistemas de controle de acesso, e o atualíssimo Blockchain (com sistema de informação descentralizada, utilizado na comercialização de criptomoedas) são só alguns exemplos delas.

Os profissionais da Tecnologia da Informação (TI) preocupam-se com o futuro da segurança na internet.  Há os que acham que existe uma falta de planejamento para o futuro, já que hoje uma boa parte das informações vem de sensores instalados nos nossos objetos de uso pessoal: celulares, relógios, computador de bordo do carro, equipamentos de segurança da casa.

Imagine que dados como sua localização, batimentos cardíacos, se o alarme de sua casa está ativo ou não pode ser alvo de hackers – ou que pessoas podem “forjar” informações falsas, para circularem por aí com uma identidade virtual que as favoreça.

Parece filme de ficção, mas esta realidade está na nossa porta.

E se você nunca havia pensado em se manter seguro na internet, talvez seja a hora de “se ligar” neste cuidado.

Planejando a segurança na Internet

Deixaremos a parte apocalíptica da segurança de dados para os profissionais de TI, e vamos falar um pouco aqui sobre a segurança de nossos dados quando navegamos na internet e entramos em sites desconhecidos.

Existem algumas regras básicas de segurança para não expor seus dados na internet. Vejamos algumas delas:

·         Primeiramente, rede de Wi-Fi públicas NUNCA devem ser usadas para efetuar transações bancárias, pagamentos em sites ou preenchimento de seus dados, suas senhas  e informações pessoais.

·         Se estiver usando computador de Lan House, vale o mesmo cuidado. Muitos dados seus podem ficar guardados na máquina que utilizar.

·         Senhas não devem conter combinações básicas, como data de aniversário seu ou de parentes próximos (marido, filhos), nomes e apelidos conhecidos. Sugestão: crie senhas mais complexas, e tenha um pequeno caderno de notas para anotá-las. É preferível a ser hackeado, certo?

·         Mensagens de e-mail suspeitas, como a de bancos pedindo para refazer cadastro, senha, ou mesmo órgãos da Receita Federal, Prefeituras e outros, devem ser descartadas na lixeira. Estas instituições não tem este tipo de procedimento; são hackers querendo buscar suas informações.

·         Sempre instale algum programa de segurança em seu computador ou telefone celular. O Firewall e a criptografia ajudam a manter os hackers longe de suas informações.

·         Mantenha seu computador e celular atualizados, para que os programas de defesa da própria máquina sempre estejam funcionando bem.

·         Sempre faça o “logout” – ou “sair” – de sites em que navega, para não deixar a página dando sopa com seus dados nela.

·         Use um pouco de seu tempo configurando a privacidade de suas publicações nas redes sociais. Você pode escolher entre deixa-las públicas, só para amigos, etc.

·         Arquivos pessoais em nuvem devem ter cuidado dobrado. Compactar arquivos, e usar senha é uma boa pedida. Mas não esqueça de anotar a senha no seu caderno de notas!

Como aumentar minha segurança na navegação?

segurança em compras online
Segurança em Compras Online

Assim como eu e você, os navegadores que usamos já são configurados para nos oferecerem opções de segurança na sua experiência com a internet.

Eles nos mostram se o site de compras ou do banco é seguro ou não, com figuras simples de entender – como um cadeado cortado ao meio, em vermelho – avisando que não é seguro, ou um cadeado verde, para avisar que é seguro de navegar.

O cadeado mostra que o site usa um protocolo de segurança chamado HTTPS, que criptografa suas informações enviadas, impedindo-as de serem hackeadas.

Também bloqueiam popups, e impedem que qualquer site possa acessar suas informações, câmera, ou te levar a links inconsistentes.

Busque sempre as configurações de privacidade de seu navegador e as configure.

Instalar um antivírus ou ferramenta de Segurança também é bem importante. Muitas são gratuitas, com opções mais arrojadas e pagas, para quem navega bastante na internet.

Outra dica é prestar atenção ao que digita, e aonde clica. Antes de sair clicando em qualquer  link que aparecer, verifique se a URL (endereço digital) para o qual está sendo levado é o mesmo comunicado no link ou o que você digitou.

Se não souber como, clique no seu mouse com o botão direito, e escolha a opção “copiar endereço de link” e o cole numa outra guia, para verificar se é para onde quer ser direcionado. Só então clique para ir ao site, ou não.

Mais simples ainda: passe o mouse acima do link, olhe no canto inferior esquerdo da sua página de navegação, e verifique o endereço configurado.

Vale também buscar a reputação do site em canais como o Reclame Aqui, antes de efetuar uma compra num lugar desconhecido.

Um último recurso: se ainda não confia no site, busque um número de telefone para entrar em contato, no Fale Conosco. Se a empresa realmente existir e for idônea, você logo saberá.

Palavra de um especialista

Conversamos aqui com Daniel Quintale, profissional e professor universitário de Tecnologia da Informação, sobre segurança na internet, e fizemos a ele algumas perguntas.

1-   Como podemos avaliar que um site é seguro para compras online?

“Temos sempre que perceber se o site inicia com https, pois isso significa que ele tem o certificado SSL de segurança. É sempre importante perceber se nas telas de cadastro o site apresenta um cadeado no canto inferior direito. Se tiver, pode confiar: suas informações estão sendo criptografadas”.

2-   Fazer meu cadastro num site com minha rede social é seguro?

“O site deve possuir integrações com as redes sociais, mas deve ter a opção de visualização dos dados, antes de efetivar o cadastro. Sendo assim é necessário também avaliar se é um site https, como explicado anteriormente”.

3-   Quais suas dicas de segurança para realizar transações bancárias ou de compra na internet:

·         No computador?

“Estar com o anti-vírus sempre atualizado, prestar atenção no certificado SSL e ficar atento no endereço do site”.

·         No celular?

“Estar com o aplicativo atualizado, nunca deixar senha pré-cadastrada no celular, utilizar token ou senhas digitais (QR Code) oferecidos pelo banco”.

Buscando sinais no próprio site

Já ouviu falar que “esmola demais o santo desconfia”? sites que oferecem produtos com preço muito abaixo da concorrência, por exemplo, já são um indício de que tem algo errado

Outro indício é a “aparência” do site, linguagem utilizada, português correto…

Caso estes quesitos estejam “capengas”, fuja. Provavelmente é um site malicioso, criado para roubar dados ou seu dinheiro mesmo.

Verifique também se existe um canal de comunicação direto com o consumidor. Sites em que você não pode se comunicar com o vendedor, decididamente, não são sérios.

Pagando uma transação em sites desconhecidos

Opte sempre que puder por pagar em cartão de crédito, pois, diferente do boleto, esta te dá o direito ao reembolso em caso de defeito ou alguma divergência entre seu pedido e o que foi entregue.

Se o site oferecer opções de pagamento verificado como PagSeguro, Mercado Pago ou Pay Pal, com certeza ele é seguro. Afinal o pagamento só chegará até o vendedor se a mercadoria chegar às suas mãos.

Quero vender na internet e entregar segurança ao cliente

Como dissemos, há milhares de pessoas que querem ser empreendedores na internet, e oferecer o seu melhor.

Se você é uma delas, e quer estar seguro e oferecer segurança aos seus clientes, a primeira dica é buscar criar sua loja virtual em plataformas completas.

Elas oferecem um visual bonito, mas não só isso:

·         vários canais de pagamento seguro para os clientes.

·         comunicação com o cliente através de várias opções, como e-mails, chats e mais.

·         integração com lojas no Facebook e Instagram (aonde você também pode conversar com o cliente pelas mensagens).

·         ferramentas de segurança na própria plataforma, para bloquear hackers.

Plataformas seguras de trabalhar no mundo virtual

Existem inúmeras plataformas seguras para trabalhar no mundo virtual. Cada uma terá suas particularidades, mas podemos citar aqui algumas delas, para que você possa conhecer e escolher a que mais se adapte ao seu negócio.

·         Shopify (Leia aqui um artigo completo que fizemos sobre a plataforma)

·         Wix

·         Minestore

·         Woo Comerce

·         Tray

Conheça outras plataformas para ecommerce aqui.

Além dos itens relacionados à segurança do cliente, algumas destas plataformas oferecem também gerenciamento de estoque, integração de diversas ferramentas para trabalhar com dropshipping, e a facilidade de criar campanhas para fidelizar seus clientes, destacar ofertas, criar opções de frete grátis etc.

Oferecendo uma loja virtual segura e transparente para as compras online, com informações claras, um Fale Conosco operacional e canais de pagamento seguros, o empreendedor pode planejar seu crescimento e mudar sua vida por completo.

Foi o que aconteceu com a empreendedora de Ji-Paraná, Regiane Magalhães.


Mãe Encontrou Autoestima Empreendendo | Regiane Magalhães

Afinal, quem trabalha com o mundo virtual é dono de seu tempo, e pode dedicar o melhor de si ao que gosta e a quem ama. Pode trabalhar de onde quiser, empreendendo na internet.

Se você quer empreender com segurança no mundo online, oferecendo uma experiência agradável e perfeita ao seu cliente, e garantir sua independência financeira com o empreendedorismo digital, te convido a conhecer também a história de Marcel Fernandes, um ex-caixa de supermercado de Santa Catarina.

Ele aplicou 4 passos para criar seu negócio online, e prosperou como nunca havia sonhado, ganhando hoje mais do que médicos e advogados, com seu negócio virtual. Se quiser conhecer o segredo de Marcel, veja aqui.

Avatar
Faz parte da equipe de conteúdo da Empreenda Ecommerce. A curiosidade a fez “especialista em assuntos aleatórios” – sabe de tudo um pouco, pois ela não para de estudar novos assuntos. Escreve desde os nove anos de idade e hoje se orgulha dos vários livros publicados.